Artigo

Alphagal: otimizando o aproveitamento de nutrientes da dieta de aves e suínos

05 de julho de 2021

A alimentação de aves e suínos chega a representar cerca de 70% do custo total de produção destes animais. Reduzir os custos relacionados à nutrição pode significar maior rentabilidade e lucratividade do sistema econômico, mas isso não pode acarretar em perda de produtividade em consequência de baixo desempenho zootécnico. Por outro lado, melhorar a utilização dos nutrientes da dieta também representa uma pegada ambiental, pois ocorre uma retirada significativa de poluentes que poderiam vir a contaminar o solo e cursos d’água.

As fontes de carboidratos e proteínas de origem vegetal, como o milho e o farelo de soja, respectivamente, ingredientes principais na formulação de dietas de aves e suínos, possuem alguns compostos, como por exemplo, os polissacarídeos não-amiláceos (PNAs), que não são digeridos e absorvidos pelo epitélio intestinal de aves e suínos,  justamente porque estes não produzem enzima específica para degradar esses nutrientes que,  devido à natureza de suas ligações, são resistentes à hidrólise no trato digestivo. Deste modo, uma valiosa fonte de energia é perdida, e a formulação da dieta precisará sobrestimar um valor energético para compensar esta perda. Uma das soluções para este problema é o uso de enzimas específicas, chamadas carboidrases, que vão atuar justamente na quebra destes PNAs.

Trabalhos realizados com carboidrases, como alfa-galactosidase, xilanase, pectinase e β-glucanase mostram que elas são capazes de aumentar a disponibilidade dos nutrientes da dieta de aves e suínos, por redução do “cage effect”, melhorando a conversão alimentar e proporcionando a redução de fontes energéticas mais caras nas dietas dos animais justamente pelo efeito de quebra e absorção dos PNA. Além disso, ensaios realizados com frangos de corte, mostram que o uso de carboidrases na formulação de uma ração com redução de até 80 kcal de energia metabolizável na sua composição, permitem alcançar os mesmos resultados zootécnicos dos animais que receberam a dieta padrão.

A Eurotec Nutrition, distribuidora das enzimas Kerry no Brasil, oferece a linha Alphagal como solução para a otimização de nutrientes presentes na formulação de dietas de aves e suínos. Alphagal 140 é composto de alfa-galactosidase, celulase, β-glucanase e β-mananase que atuam principalmente sobre a rafinose e arabinose, PNAs encontrados no farelo de soja. Já a Alphagal 280 é composta de alfa-galactosidase, xilanase, pectinase, celulase, β-glucanase e β-mananase, o que amplia o espectro de ação do complexo enzimático no sítio de atuação e absorção dos nutrientes. O complexo multienzimático Alphagal é apresentado ao mercado nas versões líquida e em pó, adaptando-se perfeitamente às características de produção de ração do cliente.

Quando o assunto é otimização do uso de nutrientes na dieta, a Eurotec Nutrition vai além!