Blog

Desafios no combate a patógenos em equipamentos e instalações de produção de aves

27 de noviembre de 2019

Na cama de aviário temos grande disponibilidade de substrato para crescimento bacteriano, além de temperatura e umidade adequadas para este desenvolvimento.Granjas contaminadas com Salmonella, Clostridium e enterobactérias muito possivelmente gerarão carcaças contaminadas, bem como ovos positivos para estes microrganismos.

A reutilização da cama por diversos lotes associada a ausência de um bom programa de desinfecção de equipamentos e instalações pode “perpetuar” a presença destes patógenos no galpão de criação. Não somente a cama, mas também partículas em suspensão existentes dentro do galpão, são veículos que permitem que a flora bacteriana passe a aderir em paredes, teto, cortinas e mesmo equipamentos, como bebedouros e comedouros, utilizados na produção dos lotes de aves. A prática do enleiramento da cama no intervalo de ocupação entre os lotes, como forma de atingir a fermentação do material utilizado como cama colabora na redução da população microbiana, porém não é uma prática 100% eficiente. Daí vem a necessidade de promover a desinfecção de equipamentos, instalações 
e camas periodicamente, preferencialmente no intervalo entre os lotes, a fim de reduzir a carga bacteriana existente e também evitar a formação de biofilmes a partir da colônia de patógenos.

O perfil desejado de um bom antimicrobiano para prevenção e desinfecção frente a microorganismos patógenos no aviário é que possua entre seus princípios ativos, substâncias que eliminem a população bacteriana presente em instalações e equipamentos, iniba o crescimento microbiano na cama de aviário, ambiente, paredes da granja, comedouros e bebedouros; possua poder residual prolongado, aumentando a eficácia do produto aplicado; que seja seguro aos aplicadores; não corrosivo e que possa ser aplicado com a presença de animais alojados no galpão. Neste caso, a recomendação é por ácidos orgânicos e seus sais, como formiatos, propionatos e acetatos, que acidificam o meio onde são empregados, o que leva a morte da célula bacteriana, evita um ambiente propício para o crescimento microbiano, além de prolongar o poder efetivo do produto. Temos ainda os derivados de lignina, que além da capacidade de acidificar o meio onde é aplicado, possuem a capacidade de retenção de umidade e redução da atividade de água, reduzindo a formação de biofilme e inviabilizando desta forma a proliferação microbiana.

A Eurotec Nutrition, a partir do seu Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento e do Departamento de Qualidade desenvolveu o Euroguard Soft IV P, um produto antimicrobiano em pó, formulado a partir de ácidos orgânicos, seus sais e derivados de lignina, que vem atender a necessidade de desinfecção de granjas, com uma formulação moderna, segura e altamente eficaz mesmo em baixas dosagens, atuando sobre a flora microbiana presente em equipamentos, instalações e na cama do galpão, bem como sobre o biofilme formado pela população bacteriana. Euroguard Soft IV P pode ser aplicado com atomizador, para maior ação sobre a superfície de contato de equipamentos e instalações do aviário ou por carrinho distribuidor diretamente sobre a cama, mesmo com a presença de aves alojadas no galpão de produção. 



Quando o assunto é combate de patógenos em instalações, equipamentos e cama de aviário, a Eurotec Nutrition vai mais além!