Blog

Uso de ácidos orgânicos de cadeia curta, média e aditivos fitogênicos na dieta de frangos de corte

January 22, 2020

A constante evolução na produção de aves incrementou rapidamente os índices zootécnicos e econômicos obtidos em comparação com os números que se observava até poucos anos atrás. Este dinâmico desenvolvimento da avicultura brasileira e internacional trouxe também novas inquietações aos produtores, zootecnistas e médicos veterinários, principalmente no tocante a chamada “produção limpa” ou “produção verde”, sem a utilização de antimicrobianos promotores de crescimento (APC) e em relação aos desafios sanitários aos quais as granjas estão expostas.

Ganho de peso, conversão alimentar, consumo de ração, mortalidade, densidade animal e rendimento de carcaça são alguns dos parâmetros utilizados para avaliar o sucesso da exploração avícola. Tais parâmetros podem ser seriamente afetados quando existe o desenvolvimento de microorganismos patogênicos na cadeia de produção, entre eles especialmente a Salmonella. A proliferação da Salmonella  ocorre não somente nos animais mas também nas instalações e equipamentos da granja, veículos de transporte e alimentos, chegando até mesmo ao abatedouro/frigorífico, acarretando perdas produtivas, além de configurar um alerta sanitário para toda a cadeia de produção.

Diversos artifícios têm sido utilizados para minimizar ou eliminar o problema da contaminação e desenvolvimento microbiano, entre eles, o uso de aditivos alimentares. Com a pressão dos consumidores e mesmo as restrições impostas, por exemplo, pela União Europeia, para o banimento do uso de APC, novos aditivos estão sendo avaliados como alternativas aos antimicrobianos, como é o caso dos ácidos orgânicos de cadeia curta e média e os aditivos fitogênicos.

Os ácidos orgânicos de cadeia curta (entre 1 a 4 carbonos) como ácido fórmico, acético e propiônico e os ácidos orgânicos de cadeia média (entre 6 a 12 carbonos) como o ácido caprílico, cáprico e láurico possuem uma eficiente ação antimicrobiana, por penetrarem na célula bacteriana, alterarem o pH no interior da célula, levando a depleção e morte da bactéria por esgotamento energético. Além disso, os ácidos orgânicos de cadeia média são fonte de energia prontamente disponível para os enterócitos, permitindo manter a integridade da parede intestinal.

Os aditivos fitogênicos, baseados em óleos essenciais e extratos vegetais, possuem conhecida função antimicrobiana, antioxidante, antiinflamatória e melhoradora do desempenho animal. Sua funcionalidade é incrementada quando se usa produtos baseados em blends de extratos herbais ou óleos essenciais comparado ao uso isolado destas substâncias.

Ácidos orgânicos de cadeia curta e cadeia média e aditivos fitogênicos representam uma excelente alternativa natural ao uso de APC na dieta de frangos de corte, promovendo saúde intestinal, melhora do status sanitário e o incremento do desempenho zootécnico do plantel de aves tratadas. Por fim isso se traduz em aumento da lucratividade e eficiência econômica da atividade!